versão 8.1

Profile
Personal Photo

No Photo

Options
Custom Title
Starless doesn't have a custom title currently.
Personal Info
Location: No Information
Born: No Information
Website: No Information
Interests
No Information
Other Information
Atalho 2: No Information
Atalho 3: No Information
Ficha:: http://rpgonepiece.com/index.php?showtopic=5748
Atalho 1: No Information
Imagem da Facção: http://files.jcink.net/uploads/bnwrpg/aventureiro.png
Cargo da Facção: No Information
Cor da Facção: cecece
Pronome:: Ela
Idade: No Information
Alias: No Information
Statistics
Joined: 15-May 16
Status: (Offline)
Last Seen: Jul 18 2018, 02:40 AM
Local Time: Jul 22 2018, 05:34 PM
47 posts (0.1 per day)
( 0.09% of total forum posts )
Contact Information
AIM No Information
Yahoo No Information
GTalk No Information
MSN No Information
SKYPE No Information
Unread Message Message: Click here
Unread Message Email: Private
Signature
View Signature

Starless

Aventureiro

Topics
Posts
Comments
Friends
My Content
Apr 10 2018, 04:12 AM
Expirando longamente pela boca, divertia-se com a possibilidade de ver sua própria respiração à sua frente no frio ar matinal do mar costeiro ao porto de Bhaskr. Tocava a fumaça que saía com seus dedos entrelaçados nas tiras de sua capa esfarrapada, já um tanto molhada com a fina garoa que caía sobre sua pequena silhueta localizada na proa daquele velho barco mercantil que dera-lhe carona. Mesmo sentindo o frio daquela região, principalmente em seus pés descalços, porém revestidos por uma única longa tira de pano a qual cobria porcamente um terço da sola de seus pés, a temperatura não a incomodava, muito pelo contrário.
Com os olhos quase fechados e o rosto levemente inclinado para cima, sentia as carícias das gotas d'água em sua tez familiarizada pelo Sol, enquanto escutava tranquilizante barulho das ondas do oceano chocando-se com as pedras da costa e o corpo de madeira da embarcação, fazendo-a sorrir de leve com aquela sensação. Agora entendia a intenção de seus meio-irmãos em conhecer o mundo, mas mesmo assim...

Finalmente sai de seu transe quando escuta sinos e vozes de comando da tripulação para subirem as velas, descerem a âncora e prepararem para desembarcar. Havia chegado ao seu destino e para eles era o fim de mais uma viagem, mas para a bastarda de Margólia, era apenas o começo de sua jornada.
Encolheu-se em sua capa como uma falha tentativa de proteger-se da chuva e do frio, ajeitou seu capuz para que não molhasse mais o seu próprio cabelo e saltou para a madeira do porto quando assim pôde fazê-lo, agradecendo pelo favor prestado e desejou-lhes bons lucros. Estava muito, muito longe de casa.
Ficou incrivelmente impressionada com a geografia do local, já que não era tão comum assim ver rochas daquele tamanho cobrindo o horizonte. As pessoas também eram diferentes e não sabia muito bem como esconder sua curiosidade, que talvez fosse partilhada pela parte deles também. Acredita ela: nada mais justo.

Com as poucas pistas que reuniu antes, utilizando todos os meios que lhe eram ao alcance, havia registros mesmo que um pouco defasados da localização de pelo menos um dos príncipes da Jóia do Deserto Negro e tudo indicava que havia passado por Bhaskr e se tivesse sorte, mesmo que não acreditasse em sorte, poderia encontrá-lo naquela região tão diferente quanto a de sua morada.
Inicialmente a coisa que julgou ser a melhor a fazer era sair daquela chuva e procurar um lugar mais aconchegante, talvez uma refeição quente mesmo que não estivesse com muita fome. O que realmente precisava era uma boa pista de pelo menos onde alguns dos filhos do falecido rei passou, pelo menos dessa forma seria possível rastrear seus passos ou refazer seus caminhos até que pudesse-lhes encontrar.

- Com licença, meu senhor. Onde posso encontrar uma boa estalagem? - Com um pesado sotaque, indagou o primeiro sujeito que aparentasse ser um morador local ou autoridade que pudesse dar-lhe aquela informação.

Tendo em seu conhecimento a direção pelo menos a ser seguida, a estrangeira o agradeceu educadamente e assim moveu-se à rota indicada. Um tanto quanto receosa e nervosa por estar num lugar tão diferente, mas ainda assim entorpecida pelo desconhecido. Buscava manter em sua mente a natureza de sua viagem e o dever a ser cumprido, não sabia quanto tempo ainda sua nação tinha antes de entrar no mais profundo caos, então não poderia fraquejar. Em momento algum.
Assim que alcançasse seu objetivo inicial, não demoraria para abrir passagem pela porta do recinto, adentrando imediatamente com intuito de escapar da chuva que agora, fora de seu transe, a incomodava um pouco juntamente com o úmido frio que mordia-lhe levemente os ossos.

- Gostaria de algo um pouco quente, por favor. -comentou perante o responsável pelo estabelecimento, sentando-se próxima do atendimento. Ophelia então abaixa seu capuz para água não escorrer pelo seu rosto e finalmente deixa sua voz anunciar: - Estou procurando alguém, estrangeiros como eu. Por favor, sabe me dizer algo ou alguém que possa responder?
Jun 27 2016, 11:56 PM
"Quem nunca se encantou e emocionou com as histórias épicas? Aquelas histórias que deixam crianças loucas para se aventurar e conhecer as belezas do mundo. Histórias com heróis caricatos, envolventes e amáveis; vilões ardilosos e terríveis que fazem de muito, para então serem derrotados por tais Heróis e Heroínas. Todo o herói, ou heroína, tem seu começo de sua aventura épica, cheia de aventuras incríveis e de tirarem o fôlego, criando lindas e maravilhosas fantasias na cabeça de cada uma das pessoas que as conhecem... Gostaria de que eu lhes contasse uma história incrível? Não, é claro que não estou falando de nenhuma dessas três aí..."



Definitly NOT... the chapter one.


Era mais um dia comum em Mirror Ball, o Sol apino brilhava cintilante no céu azul e belo, preenchido com pequenas gotas brancas do que parecia ser um gigantesco algodão doce. Algodão Doce. Algodão Doce! Meu deus como aquele gosto fazia com que os olhos da sereia se revirassem conforme os comia animadamente enquanto caminhava pela cidade. Aquele barulho. O que era aquele barulho tão animado e até gostoso que ouvia por ai? Haviam coisas quadradas presas e saiam barulhos animados dali. Lembrava de ter escutado alguma coisa parecida enquanto estava em alto mar, vindo de golfinhos, baleias e outros animais. Aquilo era uma forma de se comunicar?

Tudo era estranho, novo, assustador e gostoso -principalmente comida. Onde encontrou o Doutor, a vida era bem mais pacata e certamente não foi o bastante para se acostumar com aquela cidade grande, afinal só visitou poucos lugares e desses poucos tudo era muito quieto em comparação ali. Não só quieto, como triste e doente. Os humanos eram estranhos e a olhavam estranhados. Estranho mesmo era ter que usar esses panos, nunca precisou, mas acabou vendo ser necessário. O que não sentia estranheza era usar o jaleco do Doutor. Sentia sua falta...

A sereia buscava alguma coisa ali, só não sabia bem o que era. A primeira coisa que o Doutor fazia quando chegava em algum lugar era achar um lugar para ficar e então ia atrás de quem estivesse precisando de ajuda. Feridos e doentes, sempre. Star sempre o ajudava, mas ainda era uma aprendiz e agora uma aprendiz sem mestre. Porém prometeu que acharia a Cura do que entregou seu professor à Grande Onda.
Não havia tempo de chorar! "Força, menina, força", dizia o Doutor. Sorriu quando se lembrou dele e pôs-se a andar. Andar era estranho, mas não estava na água, então deveria andar e achar um lugar para ficar. Ou então achar doentes. Ou feridos. Não que quisesse ninguém ferido ou doente. Ou talvez quisesse, dai poderia exercer seus aprendizados. Sim, deveria procurar doentes e feridos, mas depois... precisava descansar, nadar toda aquela distância foi bem cansativo....

[Starless Dawn] - *Sigh* Agora me pergunto, onde será que seria o melhor lugar? -indagou para si mesma, estarrecida com o número de opções.

Será que deveria voltar à praia e dormir em algum lugar debaixo d'água? Não. Estava cedo demais para pensar em dormir, mesmo que estivesse cansada e tudo aquilo era tão... Diferente. Lindo. Ótimo. Estranho. Barulhento. Intrigante. Pensou que talvez fosse melhor simplesmente andar por ai primeiro, e foi justamente o que começou a fazer. Afinal, ela realmente não tinha nenhum objetivo fixo ali. Talvez ir na biblioteca, hospitais ou algo assim? Talvez, mas realmente estava hipnotizada pela música e pela dança. Ter pernas era algo bom, mas realmente não saberia dançar. Talvez se... não, isso não seria certo. Definitivamente não.
Last Visitors


Jul 17 2018, 10:12 PM




May 29 2018, 11:58 AM




Apr 13 2018, 01:57 AM



Comments
No comments posted.
Add Comment